segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Um outro olhar para a química

Uma imagem pode ser o ponto de partida para uma aula de química ou uma reflexão depois da abordagem de um assunto?


O que podemos visualizar na imagem abaixo? Podemos fazer alguma relação com a química?

E uma imagem que relaciona a química ao amor? A palavra amor é abstrata, mas podemos equacionar quimicamente a reação no organismo de quem está amando?

"Os biólogos em breve poderão reduzir certos estados mentais associados ao amor a uma cadeia bioquímica de eventos", disse Young, do Centro Nacional Yerkes de Pesquisas de Primatas, na Universidade Emory (Atlanta), em artigo na revista Nature. (trecho extraído do blog Ensino de Química).

Sugestão de leituras complementares:
Uso de imagens digitais no ensino de química
Fórmula química dos quadrinhos e seu uso no cotidiano educacional

Reflexão: Qual seria uma outra imagem que poderíamos usar para abordar a química em sala de aula? Uma imagem pode realmente nos fazer ter um outro olhar para a química?

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Toque de Recolher e a Educação

A constante luta para a melhoria da Educação é evidenciada cada vez mais. Os Estados, por meio de seus gestores, vinculam-se a modelos supostamente bons, na tentativa da solução perfeita para o Ensino e a Educação de seus jovens e adultos. Prova disso é a discussão em torno do Toque de Recolher.

Enquanto assistia jornal, ouvi notícias do Toque de Recolher, instituído em alguns municípios de Mato Grosso do Sul e São Paulo, além de outros Estados. No dia 10 de julho fui trabalhar e conversar com colegas sobre as notícias, e quando menos esperava fui convidado a participar de uma audiência pública chamada: "Palavra aberta para os 19 anos do Estatudo da Criança e do Adolescente (ECA) - Prioridade Absoluta", com a participação de várias instituições e autoridades de todo o Estado.

Durante a audiência Edson Seda, consultor da Unicef, destacou a intenção positiva do Toque de Recolher, mas disse que isso inferia o ECA já que o documento destaca ações pró-ativas. Afirmou que as prefeituras não têm competência constituicional para aprovar leis específicas sobre a medida. O artigo 24 da Constituição Federal prevê que a competência de legislar sobre os direitos das crianças e dos adolescentes é do Estado e da União. Contudo, as leis não podem contrariar o ECA e a Constituição Estadual.

Algumas opiniões contrárias:
  • Conanda (Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente), ligado à Presidência da República, diz que a medida ferirá o direito à liberdade;
  • A delegada titular da DEAJI (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude), Maria de Lourdes Souza Cano, que trabalha diretamente com jovens infratores, condena a medida, já que ela é restritiva;
  • O juiz de Campo Grande baseado na inconstitucionalidade e direito à liberdade, afirmou que a capital morena não terá Toque de Recolher. E completa: o artigo 149 do ECAjá prevê algumas medidas preventivas para os adolescentes em festas, boates e clubes.

Resultados positivos da ação:

  • Altair de Albuquerque, diretor de uma escola da rede estadual em Fátima do Sul (MS), onde a medida foi adotada, diz que os índices de evasão escolar nas turmas noturnas chegavam a 15%. Após a adoção do toque de recolher, afirma ele, caiu para quase zero. Na cidade as crianças estão proibidas de perambular pelas ruas após as 20h e os adolescentes, de 12 a 18 anos, após as 22h. Em vigor desde 07 de maio de 2009, a decisão teve respaldo da sociedade local.

O primeiro Toque de Recolher em Mato Grosso do Sul é antigo, datado em 1970, no município de Glória de Dourados, o desembargador aposentado Nildo de Carvalho adotou a ação para evitar que crianças e adolescentes ficassem em bares jogando sinuca, bebendo e brigando.


Mas quais os efeitos para uma geração que cresce sob Toque de Recolher?
Para o sociólogo Gonçalo Santa Cruz de Souza seriam: a animosidade que se cria contra a autoridade policial e a alienação dos jovens para com seus direitos.


Já cantava O Rappa: "... tudo começou a gente conversava, naquela esquina alí, de frente àquela praça veio os homens e nos pararam, documento por favor... então a gente apresentou..."
Será que a medida é igualitária? Ou de exclusão Social?


A psiquiatra Carmita Abdo chama a decisão da Justiça de "solução desesperada e de emergência" e entende o Toque de Recolher como uma tentativa do Estado de "proteger os jovens de si próprios", já que "a família não consegue passar seus conceitos e seus valores para os filhos". "Está se delegando para a sociedade um papel que seria da família".


Qual é a opinião de seus alunos?

O ritmo biológico e as transformações do corpo podem ser unir a essa discussão?

Formar cidadão e despertar o lado crítico de nossos alunos já são dois jargões que nem sempre são colocados em práticas.
Mas unir conceitos biológicos em discussões corriqueiras e apresentadas pelas mídias pode tornar o aprendizado mais eficiente. Concorda?

Imagem extraída do BrenoSiviero

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Musicalizando II

Depois de algum tempo volto a falar de música, e a escolhida chama-se Vitoriosa do Ivan Lins, entre muitas coisas que ela nos diz o que mais marca é de passar dos limites, superar obstáculos...

De não ter vergonha de ser o que é, de ser feliz...

Pra nós professores fica a reflexão: "será que estamos despertando o nosso aluno a superar seus limites, transpor as dificuldades?"

Estamos mostrando a eles a beleza da vida humana?

Nós ensinamos exatamente para que mesmo?

Por que a escola existe?

E os alunos, para que eles vão a escola?



Vitoriosa - Ivan Lins
Composição: Ivan Lins/Vitor Martins

Quero sua risada mais gostosa
Esse seu jeito de achar
Que a vida pode ser maravilhosa...
Quero sua alegria escandalosa
Vitoriosa por não ter
Vergonha de aprender como se goza...
Quero toda sua boca castidade
Quero toda sua louca liberdade
Quero toda essa vontade
De passar dos seus limites
E ir além, e ir além...
Quero sua risada mais gostosa
Esse seu jeito de achar
Que a vida pode ser maravilhosa
Que a vida pode ser maravilhosa...
Quero toda sua pouca castidade
Quero toda sua louca liberdade
Quero toda essa vontade
De passar dos seus limites
E ir além, e ir além
Quero sua risada mais gostosa
Esse seu jeito de achar
Que a vida pode ser maravilhosa
Que a vida pode ser maravilhosa...


video

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Aniversário de Campo Grande...capital Morena!

Campo Grande, a capital de Mato Grosso do Sul completa hoje 110 anos. E nossa homenagem à esta linda capital é mostrar à você leitor algumas das belezas naturais que nos cerca, além de outras atrações interessantes que nossa cidade oferece. Claro que não fechamos os olhos para tantos problemas que temos por aqui, inclusive de gerenciamento ambiental. Mas hoje queremos mostrar o que de belo tem a Cidade Morena.

Paulo Nonato de Souza do site Campo Grande News, diz:

"Campo Grande certamente é uma das capitais brasileiras mas bem servidas de parques públicos arborizados com áreas para práticas esportivas e culturais. São sete parques, todos localizados em área urbana da cidade. São eles: o Parque das Nações Indígenas, o Parque dos Poderes, o Parque do Prosa, o Parque do Sóter, o Horto Florestal, o Parque Jacques da Luz e o Parque Ayrton Senna.

De todos, o Parque das Nações Indígenas, nos altos da Rua Antônio Maria Coelho e Avenida Afonso Pena, é considerado o principal. Recebe diariamente centenas de pessoas para caminhada matutina e vespertina numa pista asfaltada de 4.100 metros ou para simples passeio em meio à suavidade da água corrente do córrego Prosa e da tranquilidade da sua imensa área verde formada por gramas e mais de 130 espécies de árvores, a maioria do Pantanal.

Os visitantes podem contemplar a vida natural de uma grande variedade de aves incluindo o quero-quero, pardais, periquitos, araras, tucanos e até mutum, uma ave originária do México e do Equador, além de quatis e capivaras...o visitante tem à disposição uma pista de atletismo, uma praça para grandes eventos, um lago de 43,3 mil metros quadrados, conjunto de concha acústica e teatro de arena, o MARCO - Museu de Arte Contemporânea -, o Museu do Índio e História Natural, o Monumento ao Índio e três conjuntos de quadras esportivas"

Pelo que lemos acima, já deu para perceber o quanto bonita é a capital, não foi citado pelo Paulo outros lugares bonitos como:

Feira Central

Praça Carandá Bosque

Além de toda as belezas Campo Grande tem uma história que vale a pena conhecer lendo o livro Campo Grande: Cidade Morena.


E nós biólogos, qual nossa análise de toda essa infraestrutura de nossa capital? Como professores podemos levar para sala de aula a reflexão das contradições do desenvolvimento de uma cidade (o tal progresso, tão falado por tantos) com a conservação do ambiente?

A preservação ambiental é possível para capitais brasileiras? Ou em franco desenvolvimento econômico, como Campo Grande?

É fácil gerir o crescimento de uma cidade, ambientalmente falando?

Parabéns Campo Grande e todos que nela moram!!!!

FONTE: Jmfm_marques e Mochileiro

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

"As crianças são o futuro do país."

Costumeiramente as pessoas pronunciam essa frase, como sinônimo de preocupação. Propagandas de TV, rádio, novelas e outros meios disseminam essa frase (que já virou jargão) como sendo uma verdade absoluta!

Confesso que tenho algumas dúvidas sobre afirmação...

Se as crianças são o futuro do país... O que fazer enquanto elas crescem? E os adultos são o que?

Só elas estarão no futuro?

Quem é o presente?

Nós não deveríamos ser a transformação que queremos ver no mundo?


Se elas o são, que crianças estamos preparando para este futuro, e que planeta estamos deixando para elas?

Todas essas dúvidas estão em meus pensamentos quando ouço a afirmação.
E você o que pensa? Tem as mesmas dúvidas? Ou as respostas?


Reflita....comente...

Queremos saber sua opinião!

video

Fonte do vídeo no youtube

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Desenvolver competências e habilidades ou somente certificar ?

ENEM - Exame Nacional do Ensino Médio instituído em 1998 para ser aplicado, em caráter voluntário, aos estudantes e egressos deste nível de Ensino para avaliação da Educação no país. Atualmente, em 2009 destina-se também à conclusão do Ensino Médio (substituindo o ENCCEJA em alguns Estados, como o de Mato Grosso do Sul) e ainda ao ingressso às Universidades e Falcudades que fizeram a adesão junto ao INEP/MEC.

ENCCEJA - Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos que destina-se a compensar a disparidade de estudos de pessoas que não puderam ou não tiveram oportunidade de concluir seus estudos em tempo próprio para idade, conforme disposto no art. 37 da LDB (Lei n.º 9394 de 20/12/1996).
O ENCCEJA hoje cumpre um papel semelhante ao Exame Supletivo que é uma oportunidade assegurada gratuitamente pelo poder público.


Art. 37 A educação de jovens e adultos será destinada àqueles que não tiveram acesso ou a continuidade de estudos no ensino fundamental e médio na idade própria.
1º os sistemas de ensino assegurarão gratuitamente aos jovens e aos adultos, que não puderam efetuar os estudos na idade regular, oportunidades educacionais apropriadas, consideradas as características do alunado, seus interesses, condições de vida e de trabalho, mediante cursos e exames.


EJA - Educação de Jovens e Adultos é uma modalidade da Educação Básica regular para conclusão dos Estudos no nível Fundamental e Médio destinado para as pessoas que tiveram acesso ou continuidade de estudos no Ensino Fundamental e Médio na idade própria conforme trata o art. 37 e seus parágrafos.


Art. 38 Os sistemas de ensino manterão cursos e exames supletivos, que compreenderão a base nacional comum do currículo, habilitando ao prosseguimento de estudos em caráter regular.
1º Os exames a que se refere este artigo realizar-se-ão:
I- no nível de conclusão do ensino fundamental, para os maiores de quinze anos;
II- no nível de conclusão do ensino médio, para os maiores de dezoito anos.


EXAMES SUPLETIVOS - equivalente ao ENCCEJA são exames promovidos (ou adotados) pelas Secretarias de Educação dos Estados através dos quais você pode adquirir o Certificado de Conclusão do nível fundamental ou médio, permitindo-lhe ingressar em qualquer universidade, desfrutar de promoções em seu emprego ou prestar quaisquer concursos públicos que requeiram os respectivos diplomas.

Ah! VAMOS ESCLARECER a diferença entre "A" EJA e "O" EJA... Nos referimos "a" Educação de Jovens e Adultos e não "o" Ensino de Jovens e Adultos, como já foi denominado, então a denominação correta é a EJA.

QUEM REALIZA ESTES EXAMES - De um lado temos pessoas que não tiveram oportunidade de estudo por motivos de saúde, familiares, econômicas, dentre outros, por outro lado, pessoas jovens querendo suprimir etapas de ensino tendo uma baixa qualidade de aprendizagem fazendo parte "SEM PERCEBER" de um grupo que não tem acesso ao estudo formal exigido por inúmeros segmentos sociais ficando desta forma excluídos de alguns processos da sociedade "voluntariamente".

Estes PROGRAMAS podem oferecer correção da deficiência educacional dando oportunidades para pessoas que perderam o momento da idade própria para concluir seus estudos e oferece uma chance de reparo e novas oportunidades. Por outro lado, pode-se pensar que estes programas se mal utilizados, podem provocar uma forma imediata e inconsequente para jovens que não adquiriram o gosto pelos estudos e querem suprimir etapas que deveriam ser vividas e experimentadas.
Esses jovens perderiam fases, importantes para a vivência do cidadão, como experimentar a escola em diferentes aspectos: os amores e desabores, as conquistas e perdas, mas que promovem o amadurecimento e o prazer de uma etapa concluída.

II Coríntios 8, 13 - Não se trata de aliviar os outros fazendo-vos sofrer penúria, mas sim que haja igualdade entre vós.



Comente...


_________________
Bióloga Vaneide Araújo

Imagem Extraída do site JornalCidade

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

WebQuest como metodologia para o Ensino de Biologia

A segunda metade do século XX foi marcada por grandes descobertas na área biológica. A descoberta da estrutura do DNA marcou o início dos estudos da estrutura e funcionamento do material genético dos seres vivos. Desse conhecimento surgiram tecnologias que permitiram, a partir de organismos diferentes, novas combinações, em laboratório, de material genético estabelecendo-se, assim, um princípio de intervenção humana capaz de, pela substituição das fronteiras naturais entre variedades de espécies e, potencialmente entre as próprias especies, biodiversidade característica do planeta.

Podemos dizer que vivemos na Era da Biologia. Genoma, proteoma, engenharia genética, transgênicos, clonagem, genes que curam, células-tronco.

São tantas novidades e informações...

Como trabalhar informações transformando-as em conhecimentos?

Visando implementar o Ensino da Biologia em uma sala de 3º ano do Ensino Médio elegeu-se a metodologia WebQuest através da página projeto Transgênicos. Além de oportunizar uma aprendizagem orientada, mais dinâmica, objetivou-se também promover a reflexão e discussão de temas atguais de forma a produzir mudanças conceituais nos alunos. A sala tem quatro alunos surdos que contam com a ajuda da intérprete de Libras.


As ações com os alunos ocorreram em sala de aula, através de análise e discussão de texto pertinente; na sala de tecnologia da escola utilizando vídeos como suporte para a pesquisa e a página do projeto como norteadora da pesquisa em si. Também procurou-se como transgênicos em listas de organizações como o Greenpeace. Da análise procedeu-se a montagem de painéis em sala de aula que foram expostos no mural da escola. Como fechamento do projeto os grupos elaboraram artigos de opinião sobre o tema, investigando também as implicações éticas e legais relacionadas.





Confira os resultados do projeto:

Escola Estadual Adventor Divino de Almeida Av. Julio de Castilho - s/nº. Vila Alba - Campo Grande - MS Fone: 3314-7055 Email: ada_adventor@yahoo.com.br www.escolaadventor.com.br
Coordenação do Projeto: Sandra Maria Fachini Cayres (smcayres@gmail.com)



Professor, divulgue também seu trabalho. Veja como clicando aqui!!

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Selo: seu blog é viciante!


O Biosfera recebeu o selo do blog parceiro Loco Mundo. Valeu mesmo...

Regras:
1- Coloque o selo no seu blog;
2- Indique 10 blogs que voce considera extremamente viciante;
3- Informe aos indicados;
4- Dizer três coisas que pretende fazer no futuro.

Pretendemos que o blog seja referência nas pesquisas escolares, subsidiando o trabalho do professor, criando vínculos com esses profissionais, divulgando e valorizando o Estado de Mato Grosso do Sul.


Nossos indicados:

Blog da Escola Estadual Profª Ada Teixeira

Blog da Escola Estadual Profª Nair Palácio
Bio Connection
Biotransitando
Biocientista
Discutindo ecologia
EcoSensu
Cultura, Educação e(m) Ciências
Fauna do Cerrado e outros animais
Quero ser verde

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

O que você mudará na sua prática em sala de aula com o novo Enem?

Esta enquete foi realizada no mês de julho/agosto. Observem os itens que estavam em votação e os resultados em porcentagem:

  • nada, continuarei com as mesmas práticas; (4%)
  • quase nada, pois é muito recente e não temos materiais de apoio; (4%)
  • haverá mudanças devido à cobrança por parte dos alunos; (o%)
  • haverá mudanças devido à cobrança por parte do sistema de ensino; (71%)
  • haverá mudanças, pois com o Enem o ensino estará mais próximo da realidade dos alunos. (19%)


Vivemos um momento onde as mudanças acontecem sem sermos questionados. Por exemplo: não podemos mais decidir se queremos ou não um computador móvel, ele simplesmente é necessário; o seu trabalho exige, a continuidade dos seus estudos também, sem falar no lazer entre outros. O certo é que os avanços tecnológicos, unidos à vontade de "estar/ficar bem" (lê-se: comodidade) que o homem busca, faz com que a sociedade se reinvente a cada novo amanhecer.



É intrigante como algumas pessoas resistem às mudanças persistindo em costumes arcaicos, como se ainda vivesse na década passada.


Pessoas assim são chamadas de saudosistas, sempre tem um "bom argumento" com frases do tipo: quando eu era pequeno..., quando eu estudava... e por aí vai...


A Educação caminha a passos médios, do saudosismo para a atualidade. O que gera desconforto para alguns, pois não estão preparados para o novo (talvez nem queiram esse "tal novo"), enquanto outros negativistas afirmam que: "nada vale a pena", "nada adianta", "o jovem não tem futuro", entre outros jargões que não me lembro.

Calma lá... Você pode estar se perguntando: por que essa fala? A enquete não era sobre o Novo Enem?

Sim.

A reformulação do Enem, bem como a nova proposta para o Ensino Médio, demonstra vontade dos gestores de acompanhar o processo em que vivemos.

A Educação não pode ser a mesma se nós não somos mais os mesmos. #Fato

As constantes renovações na Educação indignam muitos profissionais, mas na verdade o Sistema de Ensino, através de sua hierarquia e porque não dizer burocracia, necessita de tempo e dados estatísticos (avaliações externas, são um exemplo) para ampliar e efetivar novos métodos.
Isso pode contrariar aqueles que primam pela rapidez, mas quando tratamos de um país, de escala demográfica e geográfica com o Brasil, a cautela é primordial. Cabendo ao Sistema de Ensino, por intermédio do seu Ministério nortear todas as possíveis alterações, buscando sempre a melhoria.

E você leitor, qual sua análise do resultado da enquete?


Imagem extraída do 4.bp

sábado, 15 de agosto de 2009

Links da Semana



ANIMAÇÃO

Avaliação?!


via Universidade de Aveiro

Reflexão: "fragmento do ano de 1974 do livro de Tonucci...esse episódio ainda faz parte da realidade e prática cotidiana de muitos professores, no que diz respeito à avaliação..."

Vocês concordam?

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Desafio Mudanças Climáticas 2009

O aquecimento global e as mudanças climáticas estão entre os principais assuntos a serem abordados nas salas de aula de oito estados brasileiros. Não só porque o tema está se tornando um dos maiores desafios do planeta no século 21, mas também porque em agosto estarão abertas as inscrições para o Desafio Mudanças Climáticas 2009. O Desafio foi idealizado pelo Projeto Agora em parceria com a Editora Horizonte e conta com o apoio institucional das Secretarias Estaduais de Educação da Bahia, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e do Distrito Federal.

O Desafio é dirigido aos alunos de oitavos e nonos ano (antigas sétima e oitava séries) do Ensino Fundamental de cerca de 12 mil escolas. O objetivo é fazer com que os estudantes compreendam melhor o assunto, entendam o momento pelo qual passa o planeta em relação às elevadas emissões de gases responsáveis pelo efeito-estufa, percebam a relação disso com as mudanças climáticas e principalmente, que eles se sensibilizem para a necessidade de achar caminhos para reduzir o aquecimento global.

As escolas estaduais estão recebendo gratuitamente 2 Kits Educacionais contendo um dvd com 3 filmes, um Caderno do Professor de informações relevantes e propostas para os educadores trabalharem em sala de aula, 4 pôsteres temáticos e 2 pôsteres de divulgação do projeto. Com este material os professores terão condições para trabalhar o tema em sala de aula. Ao término das atividades propostas no Caderno do Professor, a próxima etapa será a participação dos alunos, que devem tirar até duas fotos e produzir um texto interpretativo com o tema em questão.

Os professores devem propor uma seleção interna e escolher até 2 trabalhos para representar a escola. Estes trabalhos deverão ser enviados por correio à Comissão Organizadora do Desafio Mudanças Climáticas 2009 que escolherá os dez trabalhos finalistas e a seguir, serão escolhidos os três vencedores de cada Estado. O autor do trabalho que mais se destacar no Estado será convidado para participar da cerimônia de premiação do Desafio Mudanças Climáticas 2009 em São Paulo. Além do aluno, também deverão estar presentes um responsável e o professor-responsável pelo Desafio em sua escola. Todas as despesas com transporte, hospedagem e alimentação serão custeadas pelos realizadores do Desafio.

O regulamento e outras informações você encontra nos sites: Desafio Mudanças Climáticas e Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso do Sul.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Quem não tem colírio usa óculos escuro...

Como já cantava Raul Seixas... "...Usa óculos escuro..."


É bem fácil observar o quanto os adolescentes gostam de óculos escuros, óculos coloridos, grandes, ovais, retangulares, entre outros.

Mas porque eles usam?

Pensamos logo no visual. Nossos estudantes estão sempre buscando a beleza ideal, a marca de calça do momento, o tênis mais "irado" e com óculos não é diferente.

Ah! De repente ao questionarmos sua utilização muitos responderão: protegem os olhos.

Vamos além... Protegem como? E de que maneira?

Sabemos que a principal função dos óculos é proteger a retina dos raios UVA e UVB. A proteção deve-se a dois fatores:

  • óculos são constituídos de duas lentes esféricas que podem aumentar ou reduzir o tamanho de um objeto, os óculos de grau são um bom exemplo;

  • a coloração, como afirmou Eric Gozlan em uma de suas entrevistas.

#FicaDica: Nas aulas de Física é possível iniciar o conteúdo lentes com a história do óculos escuro, utilizando a reportagem da SuperInteressante.

Mas antes de sair correndo para a loja à procura de óculos... Um alerta...

Existem perigos na utilização de óculos vendidos em lugares não confiáveis, como os camelódromos de sua cidade. O ideal é buscar um oftalmologista.


IMAGEM EXTRAÍDA DO VIAMULHER.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Twitter na educação


O Twitter é um microblog que compartilha do conceito web 2.0 , permitindo a interatividade entre seus usuários, além disso usa a internet como plataforma, ou seja, você não precisa instalar nada na sua máquina para utilizá-lo. Essas características permitiram sua popualarização aqui no Brasil, apesar de ainda não termos uma versão em português.

Nós do Biosfera já aderimos ao twitter, e o utilizamos como ferramenta de divulgação do blog e para manter contato com outros biólogos. E você já fez sua conta no twitter?

Se está lendo e não está entendendo do que falo, vale a pena entrar no site Twitter Brasil

O que tem a ver o twitter com sua escola? E o que tem a ver o twitter e a educação?

Dependendo de como é utilizado, essa ferramenta poderá ser útil nas práticas pedagógicas em sala de aula, veja alguns exemplos:
- aula de história
- educação infantil

Mesmo que você não visualize utilidade em sala de aula, o twitter é um ótimo recurso para se manter atualizado e conhecer pessoas, além de receber notícias online de outros veículos como TV, jornais e revistas que possuem conta nesta rede social.

Veja alguns exemplos de twitters com conteúdo educativo:
- Ministério da Educaçao
- Revista Galileu
- Revista Superinteressante
- Revista Mundo Estranho
- Revista Nova Escola
- Revista Veja
- Eu professor
- Planeta Sustentável
- Educarede
- Programa Roda Viva da TV Cultura (veja aqui mais informações sobre o twitter no programa)

Além desses usários citados, muito blogueiros (como nós) já aderiram a essa "nova onda" na internet. Será que é apenas mais uma modinha?


Leia também, na Revista Super, a matéria: O lado verde do twitter sobre alguns perfis de ambientalistas no twitter e Seis Graus de Separação que fala sobre o perfil do novo professor diante das novas tecnologias.

Fica a reflexão: há aplicabilidade real do twitter na educação?

Imagem extraída do Geoweb Blog

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Estamos com o selo “COMPROMETIDOS”!!!


Foi com muita felicidade que recebemos o selo do nosso parceiro E esse tal meio ambinte? . O selo é resultado de várias indicações de blogs para blogs engajados na democracia e luta por um mundo melhor. O nosso amigo nos disse que o Biosfera MS luta pela melhoria através da Educação. Ficamos honrados e seguimos a corrente...


Nossos indicados são:


Rastro de Carbono


Verde que te quero verde


Mundo Verde


Fronteiras da Genética


Chico Online


Viva Mais Verde


Eco Harmonia


O Mundo de A a Z


Super Zíper


Vivo Verde


quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Os sem florestas!


Em uma conversa no trabalho surgiu o assunto Parque dos Poderes. Lembramos com tristeza de como era o Parque há alguns anos e como está hoje. Olhando nesta foto de 2003 e vendo o Parque atualmente percebemos claramente a diferença.
Nós que trabalhamos lá estamos acostumados a ver uma família inteira de quati atravessando a rua, ou observar um tamanduá-bandeira entre uma secretaria e outra...macacos, araras...que beleza!
Mas nem tudo é tão bonito. Infelizmente os mesmos quatis que atravessam as ruas vão até nossas salas e as pessoas os alimentam com pães, restos de comidas...não imaginam que estão agindo errado (?). Muitos são atropelados ao cruzar a reserva...mesmo existindo a sinalização de máximo de velocidade 60km/h.
Podemos aqui parar para analisar as situações. Primeiro: o que leva os animais a procurarem comida, se tem uma reserva no parque? O que leva as pessoas os alimentarem com fandangos, pão e demais comidas que não fazem parte da alimentação natural desses animais? Segundo: se existe sinalização, por que ela não é respeitada?

Reflita!

A conversa me fez lembrar de um filme que meu filho gosta muito: Os sem florestas!!!

Na sinopse do filme percebemos a relação dele com a situação encontrada no Parque dos Poderes: "De forma simples e engraçada o filme demonstra a maneira como todo um ecossistema é abalado quando há interferência humana. Situações como desmatamento, violência contra os animais e aspectos como consumismo exarcebado são abordados de maneira inteligente, com um humor que se molda para atingir todas as idades. É puxando a orelha dos adultos e ensinando às crianças que os pequenos sem-florestas ensinam ciências."

Fazendo uma comparação percebemos que as atitudes das pessoas em relação ao ambiente refletem o modo das pessoas "se perceberem no ambiente", ou seja, enquanto o ambiente continuar exteriorizado ao meu "eu", continuaremos a tirar fotos, nos emocionando ao vermos animais cruzando estradas e só!!

Quando me referi ao parque não ser o mesmo de anos atrás, estava também falando sobre as muitas contruções que têm sido levantadas ultimante na região. Essa situação mais um vez é retratada no filme, como podemos ler numa análise do uso educacional do mesmo feita pelo Planeta Educação: "A partir desse encontro muito provável nos dias em que vivemos (tendo em vista a grande expansão do mercado imobiliário em sua busca incessante por novas áreas agregáveis aos seus interesses financeiros), se estabelece uma relação interessantíssima entre os bichos da floresta e a nova realidade que os cerca."

Perceberam a relação?

Então fica aqui a pergunta: Como nós professores de Ciências e Biologia podemos utilizar este filme em sala de aula? Um filme de animação pode trazer discussões de mudanças de hábitos e análise crítica da sociedade?

Navegando pela net encontrei algumas sugestões de atividades usando este filme:

- Aprender ecologia com desenho animado;

- Aula de cinema;

Além dessas atividades também encontrei um artigo sobre "A contribuição de filmes infantis na Educação Ambiental: interpretação ecológica e culural do filme Os sem florestas e sua aplicabilidade nas salas de aula."


Podemos afirmar ainda: Sem floresta não há clima!!!

E mais uma pergunta: e nós (você) também é um sem floresta?????????

Créditos da imagem.

Quando é que 'pensarão' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"

Essa pergunta é veinculada na internet como vencedora em um congresso sobre vida sustentável (não localizamos qual seria o congresso e nem o autor da frase).

"Todo mundo 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos...Quando é que 'pensarão' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?

Será que essa pergunta faria parte de um congresso sobre sustentabilidade?

Fica a reflexão!!!!

Créditos da imagem sem a tradução.


quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Cuidar o ambiente

Quantas recomendações que não funcionam!!! Por quê??????
Cuidar o ambiente ...primeiro!!!!


É preciso cuidar das pessoas. Quem conhece o cuidado sabe cuidar. Ninguém pratica ou ensina com eficiência o que não sabe. Atualmente ecoam em nossos ouvidos expressões como: O AMBIENTE PEDE SOCORRO! Quem pede socorro, o ambiente? A natureza tem suas próprias leis, bem exemplificada pelo cientista Lavousier pela célebre frase "Na Natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma."


Estamos meio a uma sociedade doente, machucada, magoada. As pessoas titubeiam nos compromissos de seus relacionamentos (com pais, cônjuges, filhos, parentela, colegas, vizinhos, patrões...),não relevam, não toleram, não suportam. Ah! Querem ser felizes... mas não se esforçam para fazer pessoas felizes. Já imaginaram uma corrente de pessoas querendo fazer pessoas felizes? Veríamos com certeza um “montão” de pessoas felizes.


Voltamos então a pergunta inicial. Como cuidar o ambiente? Advertir, Ensinar, chamar atenção...Ah! Educar. Por certo esta é uma resposta coerente. Porém, quero chamá-lo à reflexão!!!! Como fez o grupo Legião Urbana na música Monte Castelo citando o texto bíblico I Coríntios 13 ao afirmar a necessidade do amor ao próximo.


AMAR? Um ótimo verbo para juntar aos demais (Ensinar, chamar atenção...Ah! Educar). Com amor podemos oportunizar o desenvolvimento da sensibilidade para que as pessoas possam CONTEMPLAR e RECONHECER o quanto somos dependentes da natureza. O quanto precisamos conhecê-la para amá-la.Um relacionamento BACANA E ÍNTIMO com a ambiente nos possibilita o conhecer de algo FANTÁSTICO e o vivenciar do INUSITADO .

O que fazer então o BIÓLOGO? dentre tantas competências que lhes cabe? ENSINAR - APRENDER - CUIDAR.

Propor trabalhos que incentivem nossos estudantes CUIDAR... o outro...dos espaços...da saúde... da vida.

Ah! “Peraí” temos um grande caminho a trilhar antes de cuidar o ambiente. SABER CUIDAR. VOCÊ É UM Biólogo que cuida? O que você tem cuidado nos últimos três meses?

Observação: CUIDAR segundo Aurélio, dicionário da Língua Portuguesa : Atenção, Precaução, Cautela, Diligência, Desvelo, Zelo, inquietação de espírito...(incomodar-se com as mazelas alheias, por exemplo).

Créditos da imagem.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

GP Brasil na escola


Era costume, aos domingos de manhã, a minha família assistir aos Grandes Prêmios de velocidade, a espera de mais uma vitória de Airton Senna, como diriam os comentaristas, Airton Senna do Brasil.


Hoje, temos outros brasileiros disputando o pódio, mas não sei explicar... não há mais tanto entusiasmo, nem alegria... Acredito que aquele brasileirinho que está junto a Deus é imbatível.


O que ficou, ao longo dos tempos, foi a beleza dos carros, a velocidade, pistas sinuosas e tecnologia associada à mecânica como nunca se viu, a Ferrari quem o diga. Por muitas vezes habitou e iluminou o lugar mais alto do pódio com seu vermelho inconfundível.

Mas o que realmente faz um grande vencedor da Fórmula 1? Habilidades motoras? Empresas patrocinadoras? Especialistas em mecânica?


Talvez nenhuma delas... Ou todas, quando associadas à natureza. Sim, é com auxílio das leis físicas que as escuderias apostam para vencer.

Já que não podemos entrevistar Jenson Button, e assim descobrir como ele consegue aquelas manobras, vamos exemplificar fisicamente...


Os pneus dos carros sofreram várias mudanças ao longo dos 59 anos de existência dos GP’s. Mas porque apostar em tantas alterações assim? Simples, para que os velocímetros marquem 300 km/h os carros precisam de aderência. A Força Atrito atua desse modo, dificultando o desenvolvimento dos carros, como tendendo a pará-los. Os especialistas contrariados desenvolveram pneus de

pressão, sem câmara de ar, e agora lisos.


Com o auxílio da meteorologia as equipes podem escolher se o pneu da largada será adequado para pista molhada ou seca. Ganhando ou perdendo velocidade. Mas e se a meteorologia falhar? E houver necessidade de troca de pneus?


O pit stop, um dos momentos mais decisivos da F1, já que é nele que são feito além das trocas de pneus, o reabastecimento do combustível. O pit stop é previsto muito antes da largada e mobiliza muitos funcionários, pois é preciso ser veloz para não perder posições. Os mecânicos precisam retirar os novos pneus dos aquecedores, sim, os pneus são mantidos a ± 100°


A quantidade de combustível é fundamental, já que o carro ficará mais “pesado”. A 2ª Lei de Newton retrata tal importância, quando afirma: “A aceleração adquirida por um corpo é diretamente proporcional a sua massa, onde força e massa tem a mesma direção.” Alguém poderia resumir assim: carro + pesado = carro + lento.


O mais brilhante nos carros é a aerodinâmica, porque qualquer veículo que se mova em alta velocidade deve ser capaz de fazer duas coisas: reduzir a resistência do ar eaumentar a força vertical descendente gerada pela carroceria e seus anexos aerodinâmicos. Os carros da Fórmula 1 são baixos e largos para reduzir a resistência do ar e possuem aerofólios, difusor, placas externas e defletores laterais para aumentar a estabilidade.


#FicaDica: Leia também o artigo de Rodrigo M. de Oliveira, intitulado A física e o carro de Fórmula-1, AQUI


IMAGENS EXTRAÍDAS: ABIOSEMARINGAENSE E WELLINGTONSAMPAIO

Related Posts with Thumbnails